Search
  • Ernesto Araújo

A Elbereth Gilthoniel


O senador democrata americano Bernie Sanders (que na verdade não é registrado como democrata, mas como independente, pois se declara socialista e quer ficar à esquerda dos democratas, que atualmente já estão à esquerda de Che Guevara) declarou numa palestra, segundo a FSP de 11/10, que “Jair Bolsonaro é um exemplo de demagogo que explora o medo e o sofrimento das pessoas ‘para ganhar e manter o poder’."


O discurso oficial globalista contra os movimentos populares que estão contestando o sistema em vários lugares do mundo caberia numa caixa de fósforos. São três ou quatro frases que se repetem nas falas e artigos de centenas e centenas de analistas e políticos pertencentes ao sistema. Nunca sai da mesma coisa. “Exploração do medo” é sempre um desses chavões usados para “explicar” o avanço do antissistema, talvez o mais frequente, certamente o mais condescendente em relação ao povo que vota contra o globalismo e o mais revelador da essência do programa de dominação cujas muralhas de papel estamos derrubando.


Se há alguma coisa que os líderes como Bolsonaro e as pessoas que votam neles não têm é medo. Todo o aparato ideológico e econômico do sistema bem-pensante está contra eles. O governo, a escola, os jornais, todos os autoproclamados julgadores oficiais de caráter como Roger Waters, toda a logosfera oficial os condenam, ofendem, desprezam, ameaçam e até esfaqueiam. E mesmo assim, cada vez mais gente ao redor do mundo se engaja pela nação, contra o projeto desumanizante da esquerda globalista. Cada vez mais gente pula fora da caixinha de fósforos mental onde nos mantiveram por tanto tempo.


São pessoas que estudam, trabalham e se mobilizam por ideias e sentimentos que os globalistas não são capazes de entender. Os globalistas como Sanders não entendem o amor à pátria e então atribuem o nacionalismo ao único sentimento profundo que conhecem, o medo. Só conseguem medir os outros pela sua própria régua interesseira e materialista. Com seu nível intelectual paupérrimo, os globalistas só conseguem atribuir ao povo os sentimentos mais primitivos e grosseiros. Acham que só quem foi à universidade e recebeu a doutrinação globalista tem o direito de opinar. É a gente mais elitista que há, de um elitismo injustificável porque não são elite por nada, certamente não pelo caráter nem pelo intelecto. São incapazes de qualquer generosidade ou humildade. Só sabem falar de medo, medo, medo porque, como os orcos de Tolkien, o medo é tudo o que têm, tudo o que os move. Medo, ódio a tudo e a si mesmos, ganância, disso são feitas essas criaturas infelizes e raivosas.


A Elbereth Gilthoniel...


Quando o povo entoa o peã do espírito, tal como os hobbits (esses humildes heróis de Tolkien, heróis da sinceridade e dos sentimentos puros), aí os orcos globalistas guincham de ódio, desesperados na insignificância de suas almas de imitação. São criaturas que nada têm de seu, apenas copiam os modelos que seus mestres feiticeiros lhes impuseram.


A Elbereth Gilthoniel,

O menel palan-diriel...


No centro do Senhor dos Anéis, Tolkien (bom católico) colocou essa prece e grito de guerra, uma espécie de Ave Maria fantasy, um apelo à inocência, à pureza, à transcendência no momento da luta terrível contra os servos do mal.


...Le nallan sí, di’nguruthos

A tiro nin, Fanuilos.


Tradução: Ninguém aqui tem medo, Bernie Sanders.


Segundo a Folha, o caminho que você propõe é “criar um ‘forte movimento progressista global’ que atenda às necessidades dos trabalhadores e que reconheça que os problemas que o mundo enfrenta são fruto de um ‘status quo falido’.”


Olha só! Vocês querem criar agora um movimento progressista global? Mas quem domina o mundo há quase trinta anos senão um movimento progressista global? Sim, os problemas do mundo são fruto de um status quo falido, e você, Bernie Sanders, representa esse status quo: o programa de poder socialista infiltrado no processo econômico globalizado. Agora que vocês estão vendo que o povo detesta o globalismo querem fazer pose de antiglobalistas? Agora vocês pensam nos trabalhadores? O “Partido dos Trabalhadores”, cujo líder, Lula, você adora, teve o poder integral por 13 anos, parcialmente por mais 3, e não fez nada pelos trabalhadores – tanto que os trabalhadores brasileiros estão votando em massa em Bolsonaro. Você acha que eles o fazem por medo? Medo de quem? Eles o fazem porque são pessoas inteligentes e capazes, que após 16 anos já não aguentam o status quo de corrupção, manipulação e mediocridade. São pessoas confiantes, cheias de patriotismo, esperança e sinceridade.


O status quo é você, Bernie Sanders.

0 views

© 2023 by The Book Lover. Proudly created with Wix.com